Ministério da Economia e Exército celebram acordo de cooperação

O texto prevê a troca de tecnologias, bancos de dados e planejamento e execução de projetos relacionados ao gerenciamento de ativos.

Foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) nesta quarta-feira (18/9), o  extrato do acordo de cooperação técnica    estabelecido entre a Secretaria de Coordenação e Governança do Patrimônio da União (SPU / ME) e o Comando do Exército, através do Departamento de Engenharia e Construção do Exército (DEC). A cooperação estabelecida no documento é restrita a atividades na área imobiliária.
Ministério da Economia e Exército celebram acordo de cooperação

O texto prevê o intercâmbio de tecnologias, conhecimentos, informações, bancos de dados, treinamento de recursos humanos, preparação, planejamento e execução de projetos relacionados à propriedade e à gestão de propriedades da União ou de seu interesse. "Aqui na SPU, temos os mesmos princípios e propósitos usados ​​pelo Exército em seu zelo pelos ativos da União. Estamos conseguindo impulsionar o crescimento do país, especialmente no aspecto socioeconômico", explicou Fernando Bispo, secretário de Coordenação e Governança do patrimônio. da União.

Treinamento
Uma das principais vantagens do acordo é que ele permite que os funcionários da SPU e do Exército sejam treinados em cursos presenciais ou a distância. “Estamos apenas colocando no papel algo que já estava sendo tratado. É uma sinergia em que podemos ajudar e ser ajudados, afirmou o chefe do Departamento de Engenharia e Construção do Exército (DEC), general Claudio Moura.

O acordo não envolve transferência ou recursos financeiros entre as partes e é efetivo até 30 de setembro de 2022. A parceria foi recentemente padronizada, mas a troca entre SPU e DEC já está ocorrendo. Um exemplo foi o curso de treinamento em operação de drones, promovido em parceria pelas agências. Técnicos do exército treinaram oficiais das agências centrais da SPU e superintendências estaduais para supervisionar o uso irregular de áreas urbanas, praias, margens de rios, terrenos da marinha e espelhos d'água, entre outros bens públicos. propriedade da União.

“O processo de cooperação já existe. 
Nós apenas formalizamos e endossamos. A partir deste contrato, descobrimos novas oportunidades para compartilhar conhecimento e melhorar os sistemas de controle e produção. Quem vence é o Brasil ”, concluiu o general Alípio Valença, diretor de imóveis e meio ambiente do Exército.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.